Divulgação Científica – Outreach

O laboratório desenvolve diversas ações que têm como objetivo divulgar a ciência e os resultados dos projetos conduzidos por pesquisadores e alunos e em colaboração com outros grupos de pesquisa, ONGs e instituições . Além disso, produz material educativo e de divulgação, na forma de livretos informativos, cartazes, postagens para mídias sociais, jogos e peças expositivas para atender a estes mesmos objetivos. O pricipal foco é a biodiversidade, especialmente Neotropical e brasileira, incluindo tanto vertebrados como invertebrados, espécies vegetais, e sua conservação.

As áreas verdes urbanas são um destaque dentro das ações voltadas para o público e do material produzido, por constituirem ambientes que propiciam o contato e muitas vezes a reconexão dos habitantes das cidades com a natureza.

O contato com a natureza traz diversos benefícios, desde aspectos diretamente relacionado à saúde física quanto ao bem estar e a saude psicológica. Desperta ainda a atenção para questões relacionadas à conservação da biodiversidade, e a necessidade de preservar as áreas verdes e os ambientes naturais. Dentro do conceito atual de one health, entende-se que além dos serviços ambientais propiciados por ecossitemas saudáveis (ar puro, água, polinização etc) a saúde humana está diretamente relacionada ao ambiente como um todo, incluindo outros seres vivos. O empobrecimento dos ecossistemas causado pela perda de espécies animais e vegetais tem ainda, como decorrência, o surgimento de doenças emergentes e spillover, sendo a origem de diversas epidemias.

Além dos aspectos negativos mais concretos da perda da biodiversidade, é importante considerar que a beleza cênica dos ambientes naturais e o fascínio que diversas espécies animais causam tornam a diversidade animal e vegetal e sua preservação um aspecto fundamental para os seres humanos e seu bem-estar.

Considerando todos estes fatores, um dos objetivos dos diversos trabalhos desenvolvidos no laboratório é aproximar o público da natureza e do conhecimento sobre a biodiversidade, das mais variadas formas.

A divulgação do conhecimento científico é um dos aspectos mais marcantes da história do Instituto Butantan. Desde sua inauguração em 1901 a instituição tem como uma de suas missões traduzir, em linguagem acessível, a ciência que produz. DESENVOLVER

O Instituto Butantan situa-se em um parque cuja área é, em grande parte, coberta por floresta urbana. DESENVOLVER. Diversos projetos de pesquisa são conduzidos na área do parque, aumentando o conhecimento sobre a sua vegetação e os grupos animais que ali habitam. Aves, borboletas, abelhas nativas, aranhas, morcegos e outros mamíferos são continuamente estudados. A vegetação nativa que possibilita a existência de uma rica fauna é tambem inventariada, monitorada e manejada, de forma a manter a diversidade deste ambiente que é naturalmente mais frágil devido ao seu isolamento e interface com áreas urbanizadas.

Desde sua criação o Instituto Butantan combina atividades de divulgação e culturais junto com a pesquisas científicas, principalmente através de seus quatro museus e das ações educativas no parque, para disseminar o conhecimento para a população. Essas atividades que combinam lazer e aprendizado atraem os visitantes e promovem a disseminação dos métodos e do conhecimento científico.

Tendo como base o conhecimento sobre a fauna e a vegetação construido através dos inventários e do monitoramento da biodiversidade do parque e de sua floresta urbana, e seguindo a tradição centenária de receber o público visitante para apresentar a ciência produzida pelos pesquisadores do Instituto Butantan, oferecemos atividades ao ar livre, guiadas e monitoradas por especialistas, gratuitas e abertas a todos, como o #vempassarinhar, o #vemborboletar, e a #trilhadafloresta.

Produzimos livros infantis e paradidáticos e publicamos artigos de divulgação em revistas voltadas para esste mesmo público. Utilizamos desenhos e imagens que representam a biodiversidade brasileira, valorizando e promovendo o conhecimento sobre nossa fauna e flora. Buscamos ainda recuperar a história desse conhecimento, através do resgate das biografias e obras de naturalistas que percorreram o Brasil e contribuiram para ilustrar, catalogar e descrever animais e plantas.

No decorrer dos anos desenvolvemos e produzimos uma série de exposições que combinam arte e biodiversidade, em forma de fotos, pinturas, aquarelas. Procuramos, através dessas exposições, trazer para o público diferentes visões da beleza combinada ao conhecimento sobre animais, plantas e diferentes paisagens do Brasil.

Além disso, folhetos informativos, disponíveis para download, buscam reunir o conhecimento técnico-científico em uma linguagem acessível para esclarecer dúvidas comuns que nos são trazidas durante as diversas atividades.

Atividades ao ar livre

#vempassarinhar

O #vempassarinhar é o passeio mensal de observação de aves criado por pesquisadores do Museu Biológico do Instituto Butantan. As caminhadas mensais são gratuitas, abertas ao público para grupos de 20 a 30 pessoas no parque do Instituto Butantan e nos Parques Municipais de São Paulo. Com mais de 80 edições, a atividade é conduzida por um ornitólogo ou observador de aves habilitado que além de experiência na identificação de aves em campo, tem experiência em atividades de educação ambiental e divulgação científica, contando ainda com o apoio de monitores. Dessa forma, além de localizar e mostrar as espécies para o público, o especialista fornece informações que permitam que as pessoas sejam sensibilizadas sobre questões ligadas a conservação, como extinção de espécies. A atividade é amplamente divulgada visando atrair não apenas observadores de aves mais experientes, mas principalmente a comunidade ao redor dos parques e áreas verdes. Além da elaboração da lista das espécies registradas durante cada caminhada, é feito o censo através de contagem direta dos indivíduos registrados de cada espécie. Ambas as informações serão integralmente disponibilizadas através da plataforma eBird.

Mais recentemente, o programa vem sendo expandido para as unidades de conservação estaduais de São Paulo, dentro do Programa #vempassarinharSP. O programa já se encontra em sua 5a edição, recebendo a cada uma delas entre 12 e 60 pessoas.


#vemborboletar

O #vemborboletar é um programa que oferece caminhadas periódicas para a observação e identificação de borboletas no parque do Instituto Butantan, guiadas por um especialista e com o apoio de monitores e alunos. As caminhadas são gratuitas e os grupos são de 20 a 30 pessoas.

O Instituto Butantan situa-se em meio a um parque de 80 hectares, dividido em floresta atlântica secundária, trechos de vegetação exótica e áreas de jardim, e abriga uma variedade de animais, destacando-se o grande número de espécies de borboletas.

As borboletas são classificadas na Ordem Lepidoptera, a segunda maior ordem de insetos, com cerca de 175 mil espécies conhecidas.

Dado sua enorme diversidade, esses lepidópteros apresentam-se ideais para a realização de atividades com o público, com enfoque em conservação, educação ambiental e divulgação científica, pois suas características peculiares e sua beleza chamam atenção, despertando curiosidade. Além disso, borboletas apresentam hábitos diurnos e, na maior parte das vezes, são facilmente visíveis o que viabiliza sua utilização em atividades de observação com o público que visita o Instituto Butantan diariamente. 

Borboletas estão entre os insetos mais populares no mundo inteiro, constituindo o interesse de cientistas e amadores, como indicador de riqueza e saúde de ecossistemas. Através da observação de borboletas é possível gerar um vínculo com a natureza, engajando o público na preservação da fauna e flora, tanto na área urbana quanto em áreas silvestres. 

As borboletas são comumente usadas como bioindicadores em inventários e monitoramentos de fauna. Características como facilidade de amostragem e identificação, diversidade ecológica, ciclo de vida curto, e possibilidade de identificação sem necessidade de coleta de indivíduos, fazem com que esse grupo de insetos venha sendo usado de forma efetiva para conservação e como indicadores para monitoramento ambiental.

As borboletas são objeto de estudo dos pesquisadores do Instituto Butantan, e desde de 2017 são realizados censos mensais para levantamento das borboletas presentes no parque. Esses censos fornecem informações valiosas sobre a comunidade de borboletas da nossa floresta urbana, e possibilitam um entendimento melhor sobre sua dinâmica dentro de um ciclo sazonal. 

Assim, oferecemos a atividade #vemborboletar, caminhadas para observação e identificação de borboletas, como mais uma oportunidade de promover a ligação entre o publico e a ciência desenvolvida na instituição.


#trilhadafloresta


Livros infantis e artigos em revistas

6. Hingst-Zaher E, Lima L, Pallinger F. 2019. Bichos e plantas da Mata Atlântica livro de colorir. Tijd Edições, São Paulo.

3. Cerqueira R, Hingst E, Grelle C E V. 1991. Mamíferos. Coleção “de Mãos dadas com a Natureza”. Editora Salamandra, Rio de Janeiro.

2. Cerqueira R, Hingst E, Grelle C E V. 1991. Anfíbios & Répteis. Coleção “de Mãos dadas com a Natureza”. Editora Salamandra, Rio de Janeiro.


Flyers e folhetos informativos


Desenhos para pintar

Exposições

Reportagens e entrevistas

Atividades Realizadas

“Investigando no Museu: O que comem as corujas?” Belotti, MCTD, Hingst-Zaher, E, Ricci, F. 2º Encontro Nacional de Ensino de Ciências por Investigação. Outubro de 2020.